Abuso Sexual na infância

     A criança que sofre abuso sexual apresenta sinais indicando que algo está acontecendo. Ela começa a mudar seus comportamentos, pois não está preparada psicologicamente para receber os estímulos sexuais, ela não tem maturidade emocional para isso.

O abuso sexual pode causar:

  • Depressão, baixa auto-estima;
  • Interesse excessivo ou evitação em relação às questões sexuais;
  • Sintomas de estresse pós-traumático;
  • Sentimento de desconfiança;
  • Pesadelos / problemas no sono; distúrbios alimentares;
  • A criança passa a ficar retraída; isolamento;
  • Mudanças repentinas de comportamentos; agressividade excessiva; pensamentos negativos ou medos em relação ao corpo / genitais;
  • Pode apresentar fantasias e falsas informações sobre o abuso sexual;
  • Entre outros comportamentos que devem ser avaliados por um profissional.

     O abusador pode ser da própria família, amigos próximos, pessoas que tem contato com a criança, que estão em ambientes que a criança frequenta. Quando a criança conhece e convive com o abusador, ela pode ficar confusa, em conflito, pois é possível ter laços afetivos com a pessoa que abusa. A criança fica no dilema de ser leal ao abusador ou aos seus próprios sentimentos (o que ela está vivendo a gera sofrimento emocional).

Algumas crianças sofrem ameaças do abusador, ficam com vergonha e com medo. Por esse motivo boa parte das vítimas não contam sobre o abuso. A criança pode ter a sensação de solidão e abandono nesses momentos.

     É importante não “forçar” ou apressar a criança falar sobre todo o abuso. É importante ajudar a criança se sentir segura e confortável.

É fundamental a busca por atendimento profissional:

  • Pediatra ou médico que a família confie para avaliar se o abuso realmente aconteceu;
  • Atendimento psicológico.

     Assim como a criança vai precisar de um apoio psicológico, é importante a família também receber essa ajuda do profissional, pois a própria família será importante para a recuperação emocional da criança frente ao abuso sexual.

9 COMENTÁRIOS

  1. oi preciso urgentemente ajudar uma amiga.. mas acredito q o abuso tenha sido por amor ha alguem… preciso d sua sabias e profissinais orientações para ajdar a mesma.. obgd. Aguardo Att. #R…

    • R.L.C.,

      É importante sua amiga realizar acompanhamento psicológico. Muitas vezes a orientação não basta, mas sim o tratamento com o psicólogo (em torno de 6 meses). Infelizmente não existe “formula mágica”, cada caso é um caso, e cada pessoa é única…

      Abraço!

      Psicóloga Michelli Duje

  2. Sofri abuso sexual na infância,foram contato no meu bumbum que marcaram minha infancia,adolescencia e agora a fase adulta lembranças embaraçadas me confundem,era apenas eu uns amigos de meu pai em casa quando aconteceu eles bêbados e os servia,recebi cantadas e contato sexual,embora fosse homossexual não gostei nada,hoje tenho pavor de contato físico sem minha permissão ou de outrem,tenho medos…,nem mesmo sei explicar o porque mas tenho alguns medos em relações sexuais,e relacionamento passei por poucas e boas,tive muitas frustrações,desilusões amorosas e fui traido.
    Sinto-me só,injustiçado,amargurado,triste,enraivecido,as vezes penso em suicídio sou depressivo preciso de ajuda.
    Vivo intensos debates mentais de mim contra mim vendo meus próprios erros e as vezes percebo que estes não são meus e sim das pessoas de má indule que me cercavam no passado e no pressente.
    Devido a um relacionamento mau resolvido sofro agreções verbais,perseguiçõezinhas,difamações e outras coisas sem controle e se tornando um axioma em minha vida,dores no peito e stress que pode resultar em psicossomatia. Por favor me ajude…

  3. Meu filho de 04 anos outro dia chegou em casa e quando foi ao banheiro estava doendo seu bumbum então eu fui olhar pra ver o que era e pro meu desespero ele estava machucado então eu perguntei o que tinha acontecido e ele disse que estava com vergonha de me falar então depois de muita insistência Ele e me disse que o irmão da babá introduziu o pênis no seu bumbum então chamei logo o mãe do menino e ela negou.
    Não mandei ele mais pra casa dela mas não tive coragem de denunciar.
    Mas depois disso tudo ele está com uns comportamentos estranhos.

    • Bom dia Kelly,

      É importante encaminhar para um acompanhamento com o psicólogo para ele avaliar.
      E recomendo que fale com a babá e denuncie sim a pessoa, pois isso pode acontecer com outras cças…

      Abraço!
      Psicóloga Michelli Duje

  4. Eu sofri abuso qdo criança pois meu cunhado ficava topando em minhas parte íntimas e dizia se eu contasse a alguém eu ia apanha , daí essas sena me veio a cabeça sempre , e na vida adulta não conseguia ter uma relação normal meu corpo se recusava a esse tipo de contato , desde o primeiro dia que tive relações , me fexava não sentia prazer nunca senti , fingia que sentia algo pra sastiazer a vontade do parceiro fico tensa na hs do ato e não me sinto bem sozinha com um homem , já cheguei a pensa que gostasse de mulher , apesar que nunca tive atração por mulher , mas não sinto nada e toda vez que fãssó sexo sinto dor qualquer coisa que seja introduzindo em mim eu fico tensa e meu corpo se recusa a aceita certos tipos de carícias , sempre me senti assim desde o dia que comecei a ter a minha vida sexual mas nunca sabia identifica mas sempre me vinha esses pensamentos na cabeça e essa rejeição do meu corpo só agora com 35 anos foi que vim sabe que sofri abuso qdo criança e não sabia identifica,

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor informe seu nome