Por que Natal e Ano Novo mexem tanto com as pessoas? Formas de enfrentar as emoções que “surgem” nessa época

Natal e Ano novo envolvem lembranças, encontros e reflexões. Alguns tiveram experiências boas na infância, já outros tiveram momentos desagradáveis. Quando a lembrança é negativa, a pessoa pode querer evitar essas comemorações de final de ano, pois  ela fica emocionalmente mexida.

Nessa época, é natural avaliar sobre aquilo que conquistou e o que não conseguiu realizar. Emoções como tristeza, ansiedade, estresse, frustração e medo podem surgir por:

  • Sentir solidão, “não tem com quem passar essas datas”
  • Comemorar com pessoas que está com problemas, em conflito
  • Falta de dinheiro
  • Sentir que é insignificante, rejeitado, não merecedor de carinho e presentes
  • Não atingir objetivos que desejou para o ano
  • Saudades daqueles que não estão mais presentes em sua vida (seja por falecimento ou por desentendimento)

Muitas vezes, a pessoa tenta ignorar emoções e situações mal resolvidas ao longo do ano, mas quando chega dezembro, ela fica com mais dificuldade de “fazer de conta” que está tudo bem, de “esconder” os conflitos emocionais.

É comum que a pessoa se sinta reflexiva, reavaliando a própria vida e acontecimentos. A análise no natal e no Ano Novo pode ser algo muito positivo e construtivo, ou pode se tornar negativo e destrutivo.

Negativo:

  • Não quer comemorar porque quer evitar entender as próprias dores emocionais (as dores não vão “sumir” se a pessoa não enfrentar)
  • Sentindo inferior, falando coisas agressivas a si mesmo, sentindo-se vítima e não fazendo o movimento para as coisas mudarem
  • Não encarar os medos e problemas (não quer dizer que tem que encarar tudo de uma vez, respeite seus limites)

Positivo quando:

  • A pessoa reavalia como está conduzindo sua vida, buscando torná-la mais positiva.
  • Repensa sobre sua postura, em como melhorar e modificar alguns comportamentos.
  • Reflete sobre perdoar os outros e se perdoar, estabelecendo relações mais saudáveis e positivas. Ou então criar oportunidade para novas amizades.
  • Lembrar-se de bons momentos, celebrando os acontecimentos que teve com as pessoas que não estão mais ao seu lado
  • Planejar e estabelecer metas de forma mais realista e detalhada (por exemplo: em vez de falar “eu quero ser feliz”, achar formas de como “ser feliz”, pensando “o que preciso fazer no próximo Ano? Por onde eu começo? Qual a ação que devo ter?” )
  • Se reunir com amigos se não tiver oportunidade de ficar com os familiares

É importante ser mais tolerante, lidar com aquilo que não deu certo e se superar, aceitar e aprender com os erros. Todos têm limitações e qualidades, é preciso focar naquilo que “tem de bom”, e aquilo que pode ser melhorado. É importante se valorizar e enxergar as próprias conquistas.

Ter esperança que no ano seguinte será melhor traz motivação, traz a chance de consertar os erros e reorganizar a vida de outra forma, mas lembre-se de não se cobrar demais, seja realista, um passo de cada vez.

Não existem pessoas e famílias perfeitas. Nem todos estão alegres nessa época do ano, a felicidade não é obrigatória. Mas é fundamental enfrentar as próprias dores emocionais, e nesse momento o acompanhamento psicológico pode ser essencial. O profissional ajudará a identificar o que o deixa deprimido e formas de administrar e superar esses sentimentos.

3 COMENTÁRIOS

  1. Otima colocação de assunto tão complexo. Maneira fácil de entendimento pelo leitor, como é nosso caso, pois temos jornal e estava procurando esse enfoque.
    Obrigado por permitir reprodução citando a origem.
    Sucesso sempre,em suas atividades.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor informe seu nome